quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Atendimento personalizado: via e-mail, skype, telefone e WhatsApp.

/ /







Atendo pessoas que ainda não conseguem ter um relacionamento duradouro, ainda não encontraram o parceiro de suas vidas.



Pessoas que estão num relacionamento conflituoso. Algumas me procuram já decididas pela separação e outras decididas a salvar seu relacionamento. Vejo pessoas desistindo da separação quando antes já estavam decididas por ela, e pessoas que optam por uma separação quando esta alternativa ainda não lhes parecia tão clara.



Pessoas que ainda estão ligadas ao sofrimento daquele momento ou ao ex-parceiro e por isso não conseguem levar a vida adiante.



Pessoas que querem reconquistar o (a) ex.




Para todos os casos, meus clientes compreendem que a vida vale a pena ser vivida em sua mais profunda intensidade. Que momentos simples e singelos são tão significativos quanto datas especiais, e que vale a pena investirmos nos nossos relacionamentos. Casais felizes fazem uma sociedade melhor.



Andreia Fargnoli: Especializada em relacionamentos.



Atendimentos  via e-mail, telefone e Skype e agora WhatsApp   para todos os países. 

Clientes de outros países: Transferências podem ser feitas por  Western Union.

Consulte valores no:

dicasderelacionamento@hotmail.com

Andreia Fargnoli




Participe da nossa página no Facebook: clique aqui


terça-feira, 28 de julho de 2015

Um Roteiro para Ser Feliz no Amor

/ /
1. O amor é um sentimento que faz parte da “felicidade democrática”, aquela que é acessível a todos nós. É democrática a felicidade que deriva de nos sentirmos pessoas boas, corajosas, ousadas etc.
A “felicidade aristocrática” deriva de sensações de prazer possíveis apenas para poucos:riqueza material, fama, beleza extraordinária. Felicidade aristocrática tem a ver com a vaidade e é geradora inevitável de violência em virtude da inveja que a grande maioria sentirá da ínfima minoria.
2. É difícil definir felicidade: podemos, de modo simplificado, dizer que uma pessoa é feliz quando é capaz de usufruir sem grande culpa os momentos de prazer e de aceitar com serenidade as inevitáveis fases de sofrimento.
É impossível nos sentirmos felizes o tempo todo, mas os períodos de felicidade correspondem à sensação de que nada nos falta, de que o tempo poderia parar naquele ponto do filme da vida.
3. Apesar de ser acessível a todos, o fato é que são muito raras as pessoas que são bem sucedidas no amor. Ou seja, devem existir um bom número de requisitos a serem preenchidos para que um bom encontro aconteça.
Não tem sentido pensar que a felicidade sentimental se dê por acaso; não é bom subestimar as dificuldades que podemos encontrar para chegar ao que pretendemos; as simplificações fazem parte das estratégias de enganar pessoas crédulas.
4. O primeiro passo para a felicidade sentimental consiste em aprendermos a ficar razoavelmente bem sozinhos.
Trata-se de um aprendizado e requer treinamento, já que nossa cultura não nos estimula a isso. Temos que nos esforçar muito, já que os primeiros dias de solidão podem ser muito sofridos.
Com o passar do tempo aprendemos a nos entreter com nossos pensamentos, com leituras, música, filmes, internet etc. Aprendemos a nos aproximar de pessoas novas e até mesmo a comer sozinhos.
Pessoas capazes de ficar bem consigo mesmas são menos ansiosas e podem esperar com mais sabedoria a chegada de amigos e parceiros sentimentais adequados.
5. Temos que aprender a definir com precisão nossos sentimentos. Nós pensamos por meio das palavras e se as usarmos com mais de um sentido poderemos nos enganar com grande facilidade. Cito, a seguir, alguns dos conceitos que tenho usado e o sentido que a eles atribuo.
Amor é o sentimento que temos por alguém cuja presença nos provoca a sensação de paz e aconchego.
O aconchego representa a neutralização do vazio, da sensação de desamparo que vivenciamos desde o momento do nascimento. O aconchego é um “prazer negativo”, ou seja, a neutralização de uma dor que existia – nos leva de uma condição negativa para a de neutralidade.
Amizade é o sentimento que temos por alguém cuja presença nos provoca algum aconchego e cuja conversa e modo de ser nos encanta.
Segundo essa definição, a amizade é sentimento mais rico do que o amor, já que a pessoa que nos provoca o aconchego – apesar de que menos intenso e, por isso mesmo, gerador de menor dependência – é muito especial e desperta nossa admiração pelo modo como se comporta moral e intelectualmente.
Sexo é uma agradável sensação de excitação derivada da estimulação das zonas erógenas, de estímulos visuais e mesmo de devaneios envolvendo jogo de sedução e trocas de carícias tácteis. É evidente que a sexualidade envolve questões muito complexas, que não cabe aqui discutir.
Quero apenas enfatizar que sexo e amor correspondem a fenômenos completamente diferentes, sendo que o amor está relacionado com o “prazer negativo” do aconchego e o sexo é “prazer positivo”, já que nos excitamos e nos sentimos bem mesmo quando não estávamos mal; o amor nos leva do negativo para o zero, ao passo que o sexo nos leva do zero para o positivo.
Amor, sexo e amizade podem existir separadamente e também podem coexistir.
A mesma pessoa pode nos provocar aconchego e desejo sexual mesmo sem nos encantar intelectualmente; nesse caso, falamos de amor e de sexo. Podemos estabelecer um elo de amizade e sexo sem o envolvimento maior do amor.
Podemos vivenciar o sexo em estado puro, assim como o amor – como é o caso do amor que podemos sentir por nossa mãe, que independe de suas peculiaridades intelectuais e não tem nada a ver com o sexo.
6. A escolha amorosa adequada se faz quando o outro nos desperta o amor, a amizade e o interesse sexual. A essa condição tenho chamado de +amor, mais do que amor.
Amigos são escolhidos de modo sofisticado e de acordo com afinidades de caráter, temperamento, interesses e projetos de vida (falo dos poucos amigos íntimos e não dos inúmeros conhecidos que temos).
A escolha amorosa deverá seguir os mesmos critérios, sendo que a escolha depende também de um ingrediente desconhecido e indecifrável – porque escolhemos esse e não aquele parceiro?
Não é raro que no início do processo de intimidade a sexualidade não se manifeste em toda sua intensidade. Isso não deve ser motivo de preocupação, já que faz parte dos medos que todos temos quando estamos diante de alguém que nos encanta de modo especial.
7. O medo relacionado com o encantamento amoroso é que determina o estado que chamamos de paixão: paixão é amor mais medo!
Temos medo de perder aquela pessoa tão especial e do sofrimento que, nessa condição, teríamos. Temos medo de nos aproximarmos muito dela e de nos diluirmos e nos perdermos de nós mesmos em virtude de seus encantos.
Temos enorme medo da felicidade, já que em todos nós os momentos extraordinários se associam imediatamente à sensação de que alguma tragédia irá nos alcançar – o que, felizmente, corresponde a uma fobia, ou seja, um medo sem fundamento real.
As fobias existem em função de condicionamentos passados e devem ser enfrentadas de modo respeitoso mas determinado.


8. Para ser feliz no amor é preciso ter coragem e enfrentar o medo que a ele se associa.
Esse é um exemplo da utilidade prática do conhecimento: ao sabermos que o amor – aquele de boa qualidade, que determina a tendência para a fusão e provoca a enorme sensação de felicidade – sempre vem associado ao medo, não nos sentimos fracos e anormais por sentirmos assim.
Ao mesmo tempo, adquirimos os meios para, aos poucos, ir ganhando terreno sobre os medos e agravando a intimidade com aquela pessoa que tanto nos encantou.
9. Quando o medo se atenua, desaparece a paixão. Isso não deve ser entendido como o enfraquecimento ou o fim do sentimento amoroso pleno. Sobrou “apenas” o amor. O que acaba é o tormento, o “filme de suspense”.
Fica claro que a coragem é requisito básico para a vitória sobre o medo e a realização do encontro amoroso.
O encontro é menos ameaçador quando somos mais independentes e capazes para ficar sozinhos; nossa individualidade mais bem estabelecida nos faz menos disponíveis para a tendência à fusão que é usual no início dos relacionamentos mais intensos.
Quando o medo se atenua costuma aumentar o desejo sexual. Se o parceiro escolhido for também um amigo não faltarão ingredientes para a perpetuação do encantamento.
Desaparece o medo, mas não desaparecerá o encantamento, a menos que a única coisa interessante fosse o “filme de suspense” – e, se for esse o caso, é melhor que o relacionamento termine aí. No +amor assim constituído, o encantamento só desaparecerá se desaparecer a admiração.
10. A admiração só desaparecerá se houverem abalos graves na confiança ou se tiver havido grave engano na avaliação do parceiro.
É evidente que ao longo de um convívio íntimo com uma pessoa com a qual temos muita afinidade surgirão também diferenças de todo o tipo. Não existem “almas gêmeas”, de modo que nem todos os pontos de vista serão afinados, nem todos os hábitos serão compatíveis etc.
É o momento em que surge uma certa decepção e dúvidas acerca do acerto da escolha. É nesse ponto que percebemos que a escolha amorosa se faz tanto com o coração como com a razão: a admiração deriva de uma avaliação racional do outro, ainda que o façamos de modo camuflado porque aprendemos que o amor é uma mágica determinada pelas flechas do Cupido.
A avaliação da importância das diferenças que finalmente se revelaram determinará a evolução, ou não, do relacionamento. A serenidade na análise de situações dessa natureza só pode acontecer com pessoas portadoras de boa tolerância a frustrações e contrariedades.
Assim, a maturidade emocional que se caracteriza pela capacidade de suportarmos bem as dores da vida é requisito indispensável para a felicidade amorosa.
11. É preciso muita atenção, pois o medo tende a se esconder atrás das dúvidas que derivam das diferenças no modo de ser do outro, do menor desejo sexual inicial e também das eventuais dificuldades práticas derivadas das circunstâncias da vida daqueles que se encontraram e se encantaram.
O medo é sempre presente e se formos mais honestos conosco mesmos saberemos melhor separá-lo de seus disfarces. É por isso que o conhecimento, que determina crescimento e fortalecimento da razão, é tão útil para que possamos avançar até mesmo nas questões emocionais.
A coragem é a força racional que pode se opor e vencer o medo. Ela cresce com o saber e as convicções e também com a maturidade emocional que nos faz mais competentes para corrermos riscos e eventualmente tolerarmos alguns fracassos.
12. A maturidade moral dos que se amam é indispensável para que se estabeleça a mágica da confiança, indispensável para que tenhamos coragem de enfrentar o medo de sermos traídos ou enganados, o que geraria um dos maiores sofrimentos a que nós humanos estamos sujeitos.
Não podemos confiar a não ser em pessoas honestas, constantes e consistentes. Assim sendo, este é mais um requisito para que possamos ser felizes no amor.
Temos que possuir esta virtude moral e valorizá-la como indispensável no amado. Não há como estabelecermos um elo sólido e verdadeiro com um parceiro não confiável a não ser que queiramos viver sobre uma corda bamba.
13. São tantos os requisitos básicos para que o +amor se estabeleça que não espanta que ele seja tão incomum mesmo sendo uma felicidade possível para todos.
Temos que nos desenvolver emocionalmente até atingir a maturidade que nos permita competência para lidar com frustrações. Temos que avançar moralmente para nos tornarmos confiáveis.
Temos que ganhar conhecimento mais sofisticado e útil sobre o amor para que possamos ter uma razão geradora da coragem necessária para ousarmos nessa aventura.
Temos que ter competência para ficar sozinhos para que possamos desenvolver melhor nossa individualidade e não nos deixarmos seduzir pela tentação da fusão romântica e a excessiva dependência, além de podermos esperar com paciência a chegada de um parceiro adequado.
As virtudes necessárias à felicidade sentimental são todas elas “virtudes democráticas”, ou seja, acessíveis a todos e cuja presença em uns não impede que surjam nos outros – é sempre bom lembrar que o mesmo não acontece, por exemplo, com o dinheiro: para que uns tenham bastante é inevitável que muitos outros tenham pouco.
As virtudes democráticas podem existir em todos aqueles que se empenharem no caminho do crescimento interior. Acontece que elas não são fáceis de serem conquistadas e nem se pode chegar a elas a não ser por meio de uma longa e persistente caminhada.
Não existem atalhos e o trajeto pode demorar anos. O caminho é, por vezes, penoso mas ainda assim fascinante. Trata-se de uma densa viagem para dentro de nós mesmos, na direção do autoconhecimento.
14. Quando estamos prontos, o parceiro adequado acaba se mostrando diante de nossos olhos. Não precisamos nos esforçar, sair de nossas rotinas de vida e buscar ativamente o encontro amoroso.
Tudo irá acontecer quando for chegada a hora e sempre é bom ter paciência, já que esperar com serenidade é uma das condições mais difíceis de vivenciarmos.
15. Se tudo isso lhe pareceu muito racional, lógico e frio, engano seu. Todos esses passos vão nos acontecendo sob a forma de emoções e vivências que se dão espontaneamente, sendo que as reflexões deverão servir apenas de roteiro para que não nos sintamos tão perdidos.
Desde a adolescência experimentamos vários tipos de relacionamentos e deveremos ir aprendendo a entender tudo o que está nos acontecendo e todas as nossas ações e reações. Primeiro vivenciamos e depois devemos refletir sobre o que aconteceu.
Assim, não existe real antagonismo entre emoções e razão; uma complementa a outra. Reflexões adequadas e consistentes determinam avanços emocionais, que permitem reflexões mais sofisticadas, geradoras de avanços emocionais ainda maiores, e assim por diante.
Estabelece-se um círculo virtuoso que deverá criar condições de felicidade sentimental para todos aqueles que se empenharem realmente na rota do crescimento emocional.
A felicidade sentimental é a recompensa acessível a todos os que completarem o ciclo mínimo de evolução emocional.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

3 bons lugares para se passar a "Lua de Mel" no Brasil

/ /
Maranhão:Lençóis Maranhenses

A melhor época para se visitar os Lençóis é de maio até o início de outubro, período em que as lagoas estão cheias, o resto do ano o com a ausência das chuvas, secam as lagoas. Mas segundo os moradores locais algumas lagoas nunca secam. Boa parte das hospedagens está em Barreirinhas, mas o agito da cidade pode incomodar quem procura por paz. Ali também ficam todas as agências de turismo e o comércio. Para uma imersão completa na natureza, rume para os pontos mais distantes: Atins, Caburé e Santo Amaro. Os municípios são vizinhos a dunas pouco exploradas, mas têm pousadas com estruturas simples -- esqueça banhos quentes, caixas eletrônicos, sinal de celular e internet. Foram abertas duas pousadas em Atins, a Cajueiro e a Maresia.


Ceará: Praia do Morro Branco


As imensas formações rochosas que cercam a praia de Morro Branco parecem desafiar a natureza: ali, é como se um imenso deserto se encontrasse com o mar, criando assim um oásis perfeito. As responsáveis por esta ilusão são as grandiosas falésias vermelhas que transmitem essa impressão com o contraste que mantêm com o verde do mar, garantindo ainda outras maravilhas para os visitantes, como banho em “chuveiros naturais”, graças às águas que percorrem os paredões e caem diretamente na areia.






Rio de Janeiro: Arraial do Cabo



Super recomendo, todos os anos eu frequento essa praia. As imensas formações rochosas que cercam a praia de Morro Branco parecem desafiar a natureza: ali, é como se um imenso deserto se encontrasse com o mar, criando assim um oásis perfeito. As responsáveis por esta ilusão são as grandiosas falésias vermelhas que transmitem essa impressão com o contraste que mantêm com o verde do mar, garantindo ainda outras maravilhas para os visitantes, como banho em “chuveiros naturais”, graças às águas que percorrem os paredões e caem diretamente na areia.






quinta-feira, 23 de julho de 2015

Mulher Traída Destrói Audi R8 do Marido

/ /


Ah, os homens! Se eles tivessem noção do que uma mulher traída, vingativa e com raiva é capaz de fazer, provavelmente pensariam duas vezes antes de trair suas esposas. O preço a ser pago pode ser bastante alto.
Foi justamente isso o que aconteceu com um morador dos Estados Unidos e dono desse Audi R8. Depois de descobrir que o marido tinha um relacionamento fora do casamento, uma mulher literalmente acabou com o carro do esposo.
A pintura do esportivo foi riscada com desenhos que se assemelham a cifrões, uma carinha feliz “=)” e dizeres difíceis de serem identificados, a lataria e a carroceria ficaram danificados e os farois foram destroçados. Na parte de trás, nem mesmo o logo da marca saiu ileso e uma das argolas que representam o Audi foi marretada e acabou parando no banco do motorista, como você pode observar na imagem a seguir.
Não satisfeita, ela não poupou a parte de dentro do carro e cortou os assentos de couro e estruturas internas do veículo, além de ter retirado os sistemas de entretenimento e informação e bagunçado os fios elétricos que ficaram pendurados dentro do esportivo.
As fotos da destruição do Audi foram divulgadas de maneira anônima em uma rede social americana.

Pílula do dia seguinte antiaids começa a ser distribuída

/ /


O uso unificado da "pílula do dia seguinte" para aids começa a valer a partir desta quinta-feira, 24. Com a publicação no Diário Oficial da União do novo protocolo de diretrizes terapêuticas, todas as pessoas que tiverem enfrentado uma situação de risco para o vírus HIV passam a ter acesso aos medicamentos antiaids em qualquer serviço especializado.
A profilaxia pós-exposição, como o tratamento é chamado, é indicado para todos que tiveram risco de contato com o vírus causador da aids. Isso pode acontecer tanto num acidente ocupacional, como médicos ou enfermeiros que tiveram contato com sangue de paciente, quanto com vítimas de violência sexual ou pessoas que tiveram relação sexual desprotegida. Para ter eficácia, no entanto, o tratamento, feito ao longo de 28 dias, tem de ter início no máximo até 72 horas após a exposição ao vírus. O ideal é que o ele seja iniciado nas primeiras duas horas após a exposição.
O objetivo da nova estratégia é facilitar o acesso e, principalmente, evitar a recusa de alguns serviços de fornecer a terapia, eficaz para prevenção da doença. "Antes da mudança, havia o entendimento incorreto de que um serviço especializado poderia atender apenas a um grupo determinado", afirmou o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita.
Com isso, serviços que prestam atendimentos a vítimas de violência, por exemplo, alegavam que só poderiam fornecer remédios às mulheres ali atendidas. "A maior parte das recusas ocorria para pessoas que recorriam ao serviços depois de manter relações sexuais desprotegidas", completou Mesquita.
O Ministério da Saúde não tem estimativa de qual será o impacto da mudança. Para facilitar o acesso aos serviços, o Ministério vai lançar um aplicativo em dezembro com orientações sobre os postos mais próximos de distribuição. Além de centros de serviços especializados em DST-Aids, em algumas cidades antirretrovirais são fornecidos também em unidades de emergência. "Nos casos de serviços 24 horas, a distribuição de medicamentos não é feita para 28 dias. Os serviços dão o suficiente para três ou quatro dias de terapia e pedem que o paciente retorne, num segundo momento, para pegar o restante."
A terapia começou a ser ofertada no Sistema Único de Saúde nos anos 90, inicialmente para profissionais de saúde que tiveram contato com materiais contaminados ou sob risco de contaminação. Em 1998, a terapia foi estendida para vítimas de violência sexual e, em 2011, passou a ser ofertada também a todos os que tiveram uma relação sexual desprotegida.
Conferência
Mesquita, que está na Conferência Internacional de Aids, em Vancouver, no Canadá, contou que neste ano o Brasil definirá a estratégia para outra forma de prevenção à doença: o uso dos antiaids antes da relação sexual desprotegida. Neste caso, em vez de "pílula do dia seguinte", os remédios agiriam como uma "vacina".
Hoje, dois estudos estão em andamento, para verificar a adesão de voluntários. "A eficácia da terapia pré-exposição está comprovada. O que observamos é o comportamento de pacientes voluntários, se eles mantêm o uso de remédios, se aprovam a estratégia", contou. Resultados de estudo conduzido na Fiocruz foram animadores. A ideia é definir se a estratégia pode ser incluída no programa brasileiro a partir de 2016. Com informações do Estadão Conteúdo.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

A Massagem Yoni e os Orgasmos Múltiplos

/ /


A palavra Yoni é uma palavra de origem sânscrita que pode ter o mesmo significado de “vagina”, mas também pode remeter a “Espaço Sagrado” ou “Templo Sagrado”. Na filosofia Tantra, o Yoni é visto com um olhar de respeito por todos e é um ótimo instrumento de aprendizado para os homens.
Assim, a Massagem Yoni nada mais é do que uma massagem na vagina, feita para estimular a mulher de tal maneira que ela tenha múltiplos orgasmos. O objetivo dessa massagem no Tantra é proporcionar um momento de relaxamento à mulher para que ela possa apagar as preocupações do mundo exterior e imergir completamente na atividade que promove sua satisfação sexual plena. O parceiro é participante fundamental e, por mais que não esteja vivenciando a mesma experiência, ele é o responsável pelo prazer da mulher e pode partilhar com a parceira esse momento especial e também se excitar com a imagem que verá de perto, bem diante de seus olhos.

Benefícios da Massagem Yoni

A massagem Yoni é considerada uma forma de sexo seguro, pois o homem geralmente deve utilizar luvas de látex higienizadas para introduzir os dedos na vagina da mulher. É uma atividade a dois que exige muita confiança e intimidade, por isso poucos casais ainda tentam praticar. Os benefícios da massagem Yoni também têm viés terapêutico, uma vez que muitos especialistas afirmam que essa massagem pode ser fundamental em um processo terapêutico de rompimento de algum trauma sexual, como mulheres que sofreram abusos em alguma fase de suas vidas.
O prazer advindo dessa massagem pode abrir novos olhares, fazendo a mulher enxergar o mundo de outra forma, além de se sentir mais viva, plena, relaxada e feliz. Assim, essa massagem reduz o estresse, causa sensação de bem estar e aumenta a autoestima da mulher, além de trazer mais confiança e intimidade no relacionamento afetivo com o parceiro.

Como funciona?

Diferente do que muitos podem passar, a massagem Yoni não tem o objetivo apenas de gerar orgasmos, na verdade, essa é uma consequência da massagem, um efeito fisiológico e incontrolável da mulher, mas que fica em segundo plano. O objetivo principal é dar prazer e relaxar a mulher, fazendo com que ela desenvolva seus sentidos, principalmente o tato durante o ato. O orgasmo, assim, é visto como um efeito colateral agradável e muito bem vindo. Essa massagem pode gerar orgasmos ou não, depende da mulher, mas quando bem executado é quase impossível não gozar. Se o seu parceiro não levá-la ao orgasmo não é preciso ficar frustrada nem deixá-lo preocupado, pois isso não significa que você não sentiu prazer.
Quando o orgasmo acontece a sensação é mais satisfatória e intensa, mas a falta de orgasmo – caso venha a ocorrer – não desmerece a massagem em si e os efeitos benéficos que ela proporciona. O “doador” – como chamamos o parceiro que executa a massagem Yoni – realiza a massagem sem esperar nada em troca, apenas de espírito e coração aberto. Claro que se o casal quiser prosseguir depois com outras posições, principalmente se a mulher não gozou, eles podem, mas apenas se for uma decisão mútua e não uma troca de favores.

Ritual Pré Massagem Yoni

Existe todo um ritual que deve ser seguido antes de iniciar a massagem Yoni. O ideal é que o casal tome um banho relaxante junto, não só para higienizar as partes íntimas, mas também para criar um elo mais forte entre o casal, iniciando por antecipação o momento íntimo que irão vivenciar. O espaço escolhido para o banho deve ser tranquilo, aromatizado com velas, incensos, essências ou outros cheiros da preferência. Pode-se enfeitar o ambiente com almofadas macias e coloridas e colocar uma música agradável no ambiente em uma altura confortável, que não disperse ou atrapalhe a conexão entre vocês.
Escolha uma música calma, preferencialmente sem letra, apenas para apreciar a melodia e os instrumentos. Assim vocês podem curtir um ao outro na sua plenitude, sem interferência externa. É importante se desligar de todas as preocupações, compromissos, ideias que se prendem ao mundo material e poder interagir com o plano espiritual. Se vocês conseguirem atingir esses status de se sentirem em um outro universo, vocês estão no caminho certo. Lembre-se de não apressar o processo, tudo deve acontecer na sua hora, sem pressa.

Posição e respiração

Após o processo do banho, deve-se deitar a mulher em um espaço confortável entre as almofadas e a uma altura razoável para que o parceiro não precise ficar desconfortável curvado para baixo ou estirado para cima. A altura deve ser equilibrada para que ele possa executar a massagem sem sentir nenhum desconforto. A mulher deve se posicionar como se fosse parir, ou seja, deitar de costas, com os joelhos dobrados e as pernas bem abertas. A sua vagina deve ficar completamente exposta para o seu parceiro. com todos as áreas expostas (clitóris, grandes lábios, ponto G, etc).
O parceiro, para ter acesso completo ao Yoni, pode se posicionar sentado à frente entre as pernas abertas da parceira, mas isso não é regra, ele pode escolher a posição mais conveniente. Antes de começar é muito importante que o casal esteja com a respiração pausada, regular e sintonizada. A respiração ofegante ou hiperventilar só atrapalham, por isso, unam suas energias e iniciem a respiração em conjunto de forma profunda, sentindo o inspirar e o expirar, relaxando completamente o corpo.

A Massagem Yoni

Só então que o parceiro, com as mãos envolvidas pela luva de látex (importante para a higiene, prevenção de doenças e para que a unha não machuque a mulher) pode iniciar as carícias inicialmente nas regiões externas como coxas, abdômen, seios, pernas para que a mulher crie intimidade e se familiarize com o toque do parceiro. Iniciar a massagem já colocando os dedos na vagina pode assustar e criar uma sensação ruim, o que não é o desejado.
Aí então o parceiro já pode despejar o lubrificante na mulher, o suficiente para que cubra toda a área externa. O lubrificante pode ser adquirido em lojas de produtos eróticos, em sex shops, lojas de lingerie, na internet, enfim lembre-se de adquirir com antecedência e escolha um que tenha um aroma que agrade aos dois para não quebrar o clima ou interferir no momento.
Aí é só introduzir os dedos massageando todas as áreas, sem menosprezar nenhuma parte. É importante aplicar pressão em pontos específicos da vagina e em outros agir com suavidade. Em um primeiro momento pode ser que a mulher fique insegura e relutante, pois a sensação é bem diferente de tudo que já vivenciaram, por isso é preciso paciência do parceiro. Quando ele sentir a mulher insegura deve diminuir o ritmo e esperar que ela se acostume com os toques para prosseguir.

Postagens relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Siga meu Facebook