quarta-feira, 12 de março de 2014

Corrimento Vaginal








O corrimento vaginal é um dos problemas que mais afeta as mulheres, e uma das principais causas da ida ao ginecologista. Conheça os motivos, diagnósticos e formas de tratamento.
O corrimento vaginal é um dos problemas que afecta grande parte da população feminina. Para quem não tem bem a percepção do que se trata, o corrimento vaginal é uma irritação ou um corrimento anormal, que pode ter um cheiro desagradável. Além deste desconforto, o corrimento vaginal pode provocar ainda ardor, comichão, ou uma vontade exagerada de ir à casa de banho.
Se tem notado que o seu corrimento vaginal é muito intenso, e se apresenta algumas das características que atrás referimos, a primeira medida a tomar é dirigir-se ao seu ginecologista. O médico recomendar-lhe-á a realização de exames ginecológicos, o Papanicolau e exames de laboratório. Habitualmente, as causas mais comuns para o aparecimento deste corrimento vaginal são as infecções vaginais, doenças sexualmente transmissíveis, ou infecções cervicais ou do colo do útero.
Um dos corrimentos mais comuns é a Candidíase ou a Monilíase Vaginal. Este é um dos corrimentos mais irritantes, na medida em que o seu corrimento é muito espesso, de cor esbranquiçada, protagonizando muita comichão e irritação. Esta micose aparece quando a resistência do organismo sofre algum distúrbio, ou quando a própria resistência vaginal está mais fraca do que o habitual. Os motivos para que situações deste gênero ocorram são vários: antibióticos, gravidez, diabetes, infecções, deficiência imunológica, ou medicamentos, como é o caso de anticoncepcionais. O Papanicolau e os exames de laboratório são os indicados nesta situação.
A Tricomoníase é outro gênero de corrimento vaginal. Este só surge quando houve um contacto sexual com alguém que tinha este problema. O Papanicolau, exames médicos e exames de laboratório são os indicados nesta situação de corrimento vaginal. Além de si, convém que também o seu companheiro sexual seja devidamente medicado. Porém, existe ainda um outro tipo de corrimento vaginal: a Vaginose Bacteriana. Esta tem origem numa bactéria, gardnerella vaginalis, que provoca um odor muito intenso e desagradável durante as relações sexuais e na altura da menstruação. Os exames a fazer são os mesmos que os dos outros tipos de corrimentos vaginais que foram referidos anteriormente e, tal como na Tricomoníase, é também aconselhável que o seu parceiro seja medicado, embora não se tenha a certeza se este tipo de corrimento vaginal é sexualmente transmissível.
O tratamento indicado para si vai depender do motivo que originou o aparecimento do corrimento vaginal, mas de qualquer forma é imperativo que vá de imediato ao seu ginecologista caso detecte alguma anomalia no corrimento. Não se esqueça que os exames ginecológicos são fundamentais para que tenha a certeza que tudo está a correr bem. Mesmo que julgue estar a 100%, às vezes, surgem problemas que até à data não se haviam ainda manifestado.
O Papanicolau é o exame chave para saber se está tudo bem consigo, e deve ser feito anualmente, mesmo que não tenha estado envolvida com ninguém sexualmente. Deve ser realizado, de preferência, uma semana antes da menstruação. Atenção que, nos três dias que antecedem o exame, deve evitar ao máximo duches vaginais, ter relações sexuais e cremes vaginais. A totalidade do exame engloba: exame à mama, exame externo da vulva, exame para visualizar a vagina e o colo do útero, e um exame de toque vaginal.
Se constatar que tem um corrimento mais intenso e frequente, consulte de imediato o seu médico. Porém, e mesmo que não esteja a ser vítima deste problema, não deve dispensar a ida ao médico e a realização do exame Papanicolau.





Tabela: Dados de anamnese e exame físico relacionados com corrimento
Dados de anamnese e exame físico
Diagnóstico provável
Corrimento branco grumoso, edema, eritema, dispareunia de penetração, prurido, pH 4 a 4,5
Candidíase
Corrimento cinza-amarelado, odor fétido, principalmente no coito ou menstruação, pH 5 a 6
Vaginose bacteriana
Vaginite (prurido, dispareunia, ardência), cervicite, corrimento esverdeado, odor fétido, pH 5 a 6
Tricomoníase
Secreção escura ou sanguinolenta, odor fétido, paciente muito jovem (crianças)
Corpo estranho
Corrimento branco grumoso, edema, eritema, dispareunia de penetração, prurido, pH 3,5 a 4,5
Vaginose citolítica
Prurido vulvar, ardência, fissuras, ulcerações na mucosa, vesículas, pústulas
Herpes genital
Comportamento de risco, dispareunia, corrimento purulento, colo edemaciado e friável
Cervicite
Uso frequente de possíveis substâncias alergênicas, ardência, prurido
Dermatite
Menopausa, prurido, atrofia da mucosa vaginal
Vaginite atrófica


Tabela:  Diagnósticos diferenciais de corrimento vaginal patológico
Corrimento infeccioso
Trichomonas vaginalis; Candida sp; Gardnerella vaginalis; Chlamydia trachomatis; Neisseria gonorhoeae; infecção pós-cirúrgica; MIPA; sepse puerperal; sepse pós-aborto
Infecções menos frequentes
HPV; sífilis; Micoplasma genitalium; Ureaplasma urealyticum; Escherichia coli
Outras causas
Corpo estranho; retenção de tampão vaginal ou preservativo; irritação química; alergia; ectopia; pólipo endocervical; DIU; atrofia genital
Causas menos frequentes
Trauma; tecido de granulação; fístula vesicovaginal; fístula retovaginal; neoplasia

Como Evitar o Corrimento Vaginal? A principal forma de prevenção do corrimento vaginal é a higiente local. Para tanto existem algumas dicas para uma melhor higiene:

- Após defecar, usar de preferência ducha higiênica ou bidê. Se não for possível, usar o papel higiênico limpando a região perianal em direção oposta à vagina.
- Evitar ficar muito tempo em piscinas ou locais úmidos ou usar roupas íntimas umedecidas porque aumenta o risco de Candidíase.
- Após relação sexual lavar a região com a ducha higiênica ou no bidê. Se puder tomar banho, é preferível.
- Não colocar sabonete dentro da vagina, de preferência somente água.
- Pomadas espermicidas ou camisinhas com espermicidas aumentam o pH vaginal, aumentando o risco de infecção.
- Antes de colocar diafragma certifique-se de que esteja limpo para o uso.
- Como a Tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível, use sempre camisinha porque além de evitar a Tricomoníase, previne também a transmissão de AIDS, Hepatite B, Papilomavírus e diversas outras patologias que podem prejudicá-la mais do que um simples corrimento.

Como Tratar o Corrimento Vaginal? Para o tratamento dos corrimentos vaginais e maiores informações, procure seu ginecologista ou seu clínico, que estarão aptos a lhe indicar o tratamento mais adequado.




Atenção: Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do Blog DICAS DE RELACIONAMENTO, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico. 

Proibida a reprodução sem autorização - Todos os direitos reservados.





----------------------------------------------------------------------------




Caso você precise de uma resposta mais rápida, entre em contato através do e-mail:

dicasderelacionamento@hotmail.com e marque sua consulta particular. Atendo, por e-mail telefone e Skype.


Déia Fargnoli
Consultora de Relacionamento

8 comentários:

  1. Ola Deia,tenho corrimento a muitos anos,ja tomei varios tipos de remedio,os medicos falam que e candida,mas ja tomei varios tipos de remedio,o corrimento e amarelado com odor.Tmb tenho o sistema imune meio baixo,quando vou ter relaçao sexual tenho muita dor e vontade de fazer xixi,fui ao medico e deu irritaçao no colo do utero,usei pomada durante 7 dias,e tomei alguns remedios,mas ainda continuo com o sintoma,o que eu faço??Pois os ginecologistas nao sabem mais o q e...Com esse problema eu posso gerar filhos???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O uso prolongado de antibióticos pode coloca-la em risco de desenvolver outras infeções. Após o tratamento, ou mesmo durante ele, o seu nível de resistência contra outras infeções reduz-se pelo que se apanhou candidíase durante o tratamento a causa provável será o medicamento que enfraqueceu as suas defesas naturais contra a candidíase.De modo a evitar a candidíase você deve usar roupas de algodão secas por baixo das calças. Também deve evitar andar sempre com calças apertadas, prefira roupas que não restrinjam a circulação do ar de modo a manter a sua pele seca. Não esquecendo que todo remédio que você tomar seu parceiro tambpem deve tomar, se não ele te infecta novamente. De que estado você é? E cidade? Vou indicar um médico especialista em Candidiase. Querida, faça nos um favor, procure um médico HOMEOPATA, ele vai tratar a imunidade e consequentemente sua candida vai acabar.

      Excluir
    2. Montes Claros-Mg

      Excluir
    3. A Dr. Magna Adaci Quadros Coelho, é especialista em imunidade: 38 32216559, PROCURE-A.


      Aqui em Belo Horizonte há uma especialista em Candida: faça um esforço e venha consultar com ela, eu te acompanho.

      Dr. Paula Silva de Abreu Moraes
      Rua Juiz de Fora, 1268 / 507 – Santo Agostinho
      Belo Horizonte
      31-3291-6176
      31-3291-4804




      procure um homeopata e conte tudo que se passa:

      CLINICA DE HOMEOPATIA
      R Coronel Spyer 236 - Centro
      Montes Claros, MG
      (38) 3222-2772


      Dr. Claudia Simone Veloso
      Homeopatia
      Santo Expedito - Montes Claros/MG
      38 32248225

      Excluir
  2. Oi Deia!
    Eu tenho tido corrimento esbranquiçado e sangrei por 2x nas relações sexuais (em seis meses) ao mesmo tempo que meu namorado reclama de coceira. Eu fui ao gineco e me disseram que era candidiase e receitaram os remédios, porém a coceira dele não desapareceu. Ele foi ao urologista e o médico disse que pode ser a propria candidiase ou dama da noite. O que é exatamente dama da noite? O que encontrei é que é uma doença que prostituta passa, e meu namorado não manteve relações com outras mulheres, o que deixou uma situação complicada pra nós. O remédio de candidiase não ter funcionado pra ele significa que não é a infecção?
    Obrigada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, essa: "meu namorado não teve relações com outras mulheres", não cola, por favor não acredite nisso.Se você não passa 24 horas com ele, não confie, os mais carinhosos e dedicados são os mais cafajestes.#FICADICA.
      Os remédios para candidíase no homem podem ser Fluconazol, Itraconazol, Clotrimazol, Nistatina e Cetoconazol.Antes de iniciar a toma do remédio o homem deve sempre seguir alguns cuidados a fim de curar mais rapidamente a doença. São eles:

      Manter a região genital sempre limpa e seca;
      Evitar relações sexuais no período em que estiver em crise ou em tratamento;
      Evitar comer alimentos ricos em gorduras e açúcares;
      Aumentar o consumo de vitamina C com o objetivo de aumentar o sistema imunológico;
      Beber muita água;
      Comer mais verduras e hortaliças;
      Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
      Não fumar;
      Usar preservativo em todas as relações sexuais;
      Evitar roupas justas e de material sintético;
      O tratamento para candidíase deve ser realizado tanto pelo homem, quanto pela mulher, para que a doença seja totalmente eliminada. Se o tratamento não está dando certo, talvez seja necessário a indicação de outro tipo de tratamento pois o fungo pode ter criado resistência ao medicamento e este deixar de ser eficaz.
      Alguns alimentos tendem a tornar o pH dos fluídos do corpo mais ácido do que alcalino e isso favorece a reproducão de fungos. Existe até uma dieta, chamada dieta alcalina que ensina como controlar o pH do corpo através da alimentação e com isso evitar muitos problemas de sáude, incluindo a candidíase.
      Quanto a seu sangramento nas relações pode ser: Doença sexualmente transmissível (DST), Atrofia vaginal, lesões neoplásicas, Pólipos, Endometriose. procure um ginecologista para investigar o seu caso e evitar maiores complicações. Não esqueça, consultas regulares são sempre a melhor forma de prevenção de doenças, mas em qualquer sinal de anormalidade, procure seu médico! Procure também um médico Homeopata. Sobre a doença: DAMA DA NOITE, ainda não conheço, vou consultar um médico amigo meu pra me orientar e volto a te falar aqui novamente.

      Excluir
  3. Ola ja vai fazer um ano que tenho corrimento e ardencia na relaçao ja fiz exames tomei remedios e nada estou desesperada porque isso nao acaba

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual foi seu resultado? Candida?
      Saiba que se tem problema recorrente, precisa mudar habitos alimentares também.
      Algumas mulheres, item uma deficiência imunológica específica para desenvolver a candidíase, o que explicaria os casos de repetição frequente da doença. Tanto que os tratamentos recentes visam melhorar a resistência feminina, antes de tudo. O uso de determinados antibióticos pode diminuir ou mesmo acabar com a flora de lactobacilos que protege a vagina dos microorganismos nocivos. Roupas íntimas de material sintético, calças compridas apertadas, desodorantes íntimos predispõem algumas mulheres ao problema. Doenças que diminuem a imunidade da mulher também favorecem o desenvolvimento dos fungos. As alterações hormonais que ocorrem durante a gravidez ou uso de hormônios para tratamento de distúrbios ou como anticoncepcional pode, em alguns casos, facilitar o aparecimento da doença. Pessoa diabéticas tem mais propensão a candidíase porque os níveis elevados de açúcar em circulação no organismo estimulam a proliferação dos fungos.A candidíase também está associada a processos alérgicos e pessoas com predisposição a ter alergias são mais vulneráveis à infecção vaginal por fungos. O tipo de agente causador da alergia não importa. Pode ser algum medicamento, alimento ou substâncias químicas. Há mulheres que desenvolvem alergia às proteínas do sêmen do parceiro sexual ou até a remédios consumidos por eles, cuja substância lhes chegam através do sêmen.O estresse e a nicotina do cigarro são outros dois fatores de risco para a infecção, uma vez que contribuem para diminuir as defesas imunológicas, particularmente na região vaginal. A infecção aparece ainda associada ao HPV, o papiloma vírus humano, uma vez que esse vírus diminui a resistência do organismo.
      Alguns cuidados com a alimentação e os hábitos de vida podem ser estratégicos para quem tem problemas de repetição com a candidíase. Aconselho a diminuir o consumo de carboidratos e açúcar e de alimentos ácidos, álcool e cigarro(se beber ou fumar). O uso de papel higiênico perfumado e de absorventes internos são absolutamente contra-indicados. Quem faz atividade física com regularidade deve usar malhas e calcinha de algodão durante os exercícios.

      Procure um ALERGISTA para uma vacinoterapia. É simples: você faz um hemograma pra saber se não tem outra doença (hepatite, HIV, etc). Essas vacinas são de proteínas, elas englobam boa parte da cândida e as que sobram (em pequena quantidade), o seu sistema imune dá um jeito de "mandar embora", fazendo com que seu corpo fique imune a ela.
      O médico pede um frasco, e toda semana te aplica uma injeção sub-cutânea... não dói nadinha! E é garantia de 99% de cura da candidíase de repetição.
      Só que é um tratamento bem caro, tem que ter $ pra pagar os frascos que você precisa, e geralmente só os melhores alergistas vão faze-lo.

      Excluir

As respostas no Blog não tem custo algum, mas devido a quantidade de perguntas você tem que esperar na fila em torno de 5 a 10 dias

Precisa de uma resposta urgente, marque uma consulta particular no dicasderelacionamento@hotmail.com .


Se algum texto publicado por aqui for de sua autoria, nos envie o link para que possamos dar os créditos. Se não autoriza a publicação de seu texto por aqui nos comunique que retiramos.

A edição desse Blog se reserva ao direito de deletar, sem aviso ou consulta prévia, comentários com conteúdo ofensivo, palavras de baixo calão, spams ou, ainda, que não sejam relacionados ao tema proposto pelo post do blog ou notícia.

Volte sempre: Déia Fargnoli

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...